Como cuidar dos Óleos Essenciais

Comprar óleos essencias é como comprar qualquer outra coisa – é preciso pesquisar. Mas pode-se ter sorte e encontrar rapidamente o lugar perfeito para comprar os óleos. Eles devem estar em vidros escuros, com o nome latino escrito no rótulo ou pelo menos no catálogo. Além disso, o prazo de validade do óleo deve também figurar no rótulo. Geralmente os óleos duram dois anos, embora se afirme que os óleos cítricos, como o de limão, têm vibração terapêutica dentro deles durante apenas cerca de seis meses, ao passo que outros, como o eucalipto, o patchuli, o olíbano e o sândalo, retêm sua eficácia por um tempo superior aos dois anos habituais.

Entretanto, as coisas não são tão simples assim, e para complicá-las ainda mais a expressão “óleo essencial” é usada legalmente referindo-se a todos os tipos de coisas que não são o que você e eu esperaríamos – a saber, a essência destilada da planta mencionada no vidro. O que ocorre é que, para maximizar os lucros, as pessoas vendem vidros de líquido que se autoproclamam “óleo essencial” quando na realidade o que contêm é uma síntese química produzida em fábrica. Isso é legal, e um problema causado pela frouxa definição legal de “óleo essencial”. Muitos artigos que se dizem produtos de “aromaterapia” são feitos usando-se esses materiais químicos artificiais. Outro problema é que o vidro pode não estar mentindo ao dizer “óleo essencial”, porque ele realmente contém um óleo essencial, mas não aquele que vem referido no rótulo. Nesse caso, os atacadistas misturam óleos essencais que têm  cheiro semelhante ao do óleo mencionado no rótulo. Isso é feito sobretudo com os óleos esssencias caros, como o de cravo e de rosa. Pode-se obter uma boa imitação dele misturando-se pimenta-do-reino e ilangue-ilangue ou cravo-da-índia, que são essências muito mais baratas e no entanto têm o mesmo cheiro do cravo (para o nariz inexperiente). Os rótulos também podem dizer que o produto é “puro” ou “natural” – isso é exato mas enganador, porque a substância que está dentro do vidro é na verdade natural, mas não a substância natural que o rótulo nos leva a acreditar ser. O conteúdo pode não ser absolutamente um óleo essencial, mas uma mistura de outros materiais naturais ou produtos químicos naturais elaborados de forma a ter, mesmo quando testados, o aspecto de um determinado óleo essencial.

Quem usa os óleos essencias com finalidade terapêutica precisa saber exatamente a prodcedência do óleo, porque uma lavanda que cresceu nos Alpes franceses é diferente da que cresceu na China, por exemplo, assim como a esclareia que cresce na França tem propriedades diferentes da que crescem na Rússia. É melhor não comprrar óleos mistos procedentes de países diversos. Precisamos saber exatamente o que estamos comprando, e há pessoas que vão elas próprias até os cultivadores para ficar tranquilas quanto à qualidade do produto que estão comprando. Obviamente o comprador ocasional não pode se empenhar numa investigação tão cara e complicada, e não precisa fazê-lo se está lidando com um fabricante conceituado de óleos essenciais. Isso nos leva ao ponto principal: como saber se um fabricante é confiável?

Eis o que se deve observar:

  1. Se toda uma gama de óleos essencias está sendo vendida pelo mesmo preço em vidros de tamanho igual, você pode ter certeza absoluta de que nos produtos contidos neles não refletem exatamente o que está escrito no rótulo. Normalmente os preços variam de óleo para óleo, dependendo da quantidade de planta utilizada para a produção. Se uma linha inteira está sendo vendida pelo mesmo preço, é óbvio que algo está errado.
  2. Os óleos essencias puros, não-diluídos, devem ser vendidos em vidros escuros, marrons, verdes, cor de malva ou azuis, pro exemplo. Se são vendidos em vidros claros (ou, pior ainda, em plástico claro), é sinal de que o fabricante não sabe que com isso a luz penetra no produto e o prejudica – ou seja, éum fabricante que deve ser evitado.
  3. Os vidros devem sempre ter uma tampa tipo conta-gotas. Além de ser prático, esse é sobretudo um fator de segurança, pois se a contecer de uma criança pegar o vidro e beber dele, ela apenas aingerirá umas poucas gotas antes de perceber que o óleo essencial de limão não é limonada. Outro motivo é que os óleos essenciais evaporam e se deterioram quando expostos ao ar, e sem tampa tipo conta-gotas a quantidade de ar que entra no vidro é maior. Evite os fabricantes que vedem óleos essencias sem tampa tipo conta-gotas. Além disso, lembre-se sempre de manter os vidros fora do alcance das crianças.
  4. Você deve sempre ser capaz de saber do vendedor a varejo, o nome latino do óleo essencial, Por exemplo “eucalipto” é Eucalyptus globulus, Eucalyptus citriodora, Eucalyptus piperata ou eucapliptus radiata? Esses nomes latinos podem não estar no rótulo, mas o varejista deve ter uma lista que lhe dê essa informação. Se ele não puder fornecê-la por não tê-la recebido, o fabricante do óleo essencial provavelmente deve ser evitado.

Nesse ponto você pode pensar que comprar óleo essenciais é muito complicado. Mas pense na coisa deste modo: se quisesse comprar um carro, você não iria simplesmente sair e comprar o primeiro que visse. Descubra os endeereços de fabricantes e peça-lhes uma lista de preços ou um catálogo.

Quando você começar a usar óleos essencias, pode lhe parecer dificil encontrar os melhores fabricantes. No devido tempo, entretanto, seu nariz (que é o melhor guia para o assunto, desde que tenha sido educado pela experiência) o orientará e lhe ensinará o que procurar. E pesquise, cheiros os óleos, familiarize-se com o assunto e, no devido tempo, você acabará descobrindo quem é o fabricante confiável.

Falaremos nos próximos posts mais a respeito.

Obrigada e até o próximo

Texto retirado do livro Aromaterapia um guia de A a Z Susan Worwood

google-site-verification: google856a69ac28903463.html

2 comentários sobre “Como cuidar dos Óleos Essenciais

  1. léa disse:

    Que interessante…parece que a cada post percebemos como essas substâncias têm em si os dois opostos: fortes a ponto de suas doses serem diferenciadas de pessoa para pessoa, frágeis a ponto de serem alteradas pela luz ou pelo tempo…

    • Terra dos Aromas disse:

      Sim, os óleos são recolhidos de uma forma que preservam a vida da planta. E vc sabe, um dia ela perde a energia, more, assim os óleos essenciais🙂

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s