Obesidade e óleos essenciais

Um artigo excelente de Daiane Petry

Óleos essenciais no tratamento da obesidade

A obesidade é definida como uma enfermidade multifatorial, caracterizada pelo acúmulo de gordura corporal, além de ser considerada um fator de risco para uma série de doenças e distúrbios.  Na hora de escolher o óleo essencial a ser utilizado para a redução da gordura, é necessário considerar todos os fatores que estão gerando esta enfermidade. Como por exemplo: o estilo de vida, a genética, possíveis disfunções hormonais ou da glândula tireóide.

Proponho inicialmente que cada pessoa se observe e se pergunte: o que o leva a engordar? Caso a resposta desta pergunta seja: ansiedade, estresse, o mau hábito no consumo de alimentos e/ou sedentarismo, a aromaterapia pode te auxiliar.

Rosemary-EO.pngÓleo essencial de Alecrim
Massagem: Estimula o metabolismo, estimula a secreção biliar ajudando na digestão de gorduras, regula a digestão, ajuda na assimilação do açúcar no diabetes, aumenta a irrigação periférica (auxiliando em caso de celulite), diurético, carminativo (reduz gases intestinais), combate arteriosclerose e o colesterol elevado.
Inalação: É um óleo com ação antidepressiva, promove determinação, auxiliando em casos de baixa estima e insegurança. Aumenta a autopercepção e criatividade. Excelente para casos de apatia. É um estimulante físico e mental ótimo para aqueles que não tem ânimo e disposição para caminhar e praticar exercícios.

Contra-indicação: Hipertensos, gestantes e lactantes.

Óleo essencial de Cedro
Massagem: Diurético.
Inalação: Proporciona relaxamento profundo, acalma a ansiedade e o estresse. Dissolve preocupações, medos, angustias e raiva. Ajuda a estabilizar a energia fora de equilíbrio. É o óleo da força e persistência, ideal para as pessoas que tem dificuldade em mudar seus hábitos alimentares e manter a dieta balanceada.

Óleo essencial de Cipreste
Massagem: Desintoxicante do organismo, diurético e descongestiona o fígado e o sistema linfático.
Inalação: Promove otimismo e calma. Ajuda a reduzir irritações e frustrações.

grapefruit-EOÓleo essencial de Grapefruit
Massagem: Revigorante, diurético, estimula o sistema linfático, estimula a secreção biliar ajudando na digestão de gorduras e reduz taxas de colesterol no sangue.
Inalação: Antidepressivo, clareia a mente resgata a vontade de viver, traz euforia, iniciativa e leveza. Muito utilizado em casos de ansiedade, apatia, dificuldade em auto-aceitação, transtorno de humor, exaustão nervosa, estresse, mágoas e tristezas.

Óleo essencial de Laranja DoceOrange-EO
Massagem: Reforça sistema imunológico, antiespasmódico, carminativo, digestivo, estimula secreção biliar ajudando na digestão de gorduras.
Inalação: Estimula o animo, controla ansiedade, depressão, estresse, tensão, palpitação. Age no 2 chakra trabalhando a criatividade, promove coragem e elimina preocupações. Tem ação de libertar, estimular e ensinar.

Lavender-EO.pngÓleo essencial de Lavanda
Inalação: Relaxante e antidepressivo. Usado em casos de impaciência, ansiedade e preocupação. Promove insight, remove indecisões, traz aceitação e confiança.

Óleo essencial de Limãolemon-EO

Massagem: Descongestiona rins e fígado, carminativo, depurativo, diurético, estimulante circulatório e imunoestimulante.

basil-5mlÓleo essencial de Manjericão
Inalação: Antidepressivo, reanimador, equilibrador emocional, clareia a mente estimula a auto-confiança e poder pessoal.
Massagem: Antiespasmódico, carminativo, digestivo, estimula o fluxo sanguíneo, diminui taxa de ácido úrico no sangue.

Lembre-se:

Efeitos emocionais acontecem apenas através da inalação devido a conexão direta do olfato com o sistema límbico.

Efeitos físicos através de uso tópico (massagens, compressas).

ate mais

Gravidez e os Óleos Essenciais

safety-pregnancyNa gravidez e no período de amamentação é muito importante tomar cuidado com certos Óleos essenciais.

A dosagem deve ser reduzida para metade, por precaução e alguns óleos essenciais devem ser totalmente excluídos da lista da gestante e da mamãe que está alimentando o seu Bebê.

São eles:

Manjericão, Canela, Anis estrelado, Erva-doce, Alecrim, Oregano, Valerian, Cedarwood, Pimenta-do-Reino, Juniper, Marjoram, Menta, Tomilho, Cravo, Sálvia, Clary Sage, Noz Moscada, Bay, Pimento Berry, Esteva, Estragão, Nardo.

Portanto, tome cuidado!

ate mais

Medo de dirigir

borboletasNo aromatizador pessoal pingue os seguintes óleos essenciais:

  • 1 gota de Manjericão
  • 1 gota de Erva Doce
  • 1 gota de  Bergamota

 

 

Ou no Aromatizador para carro pingue 7 gotas de óleo essencial de Bergamota e 3 gotas de óleo essencial de Manjericão.

ate mais

 

May-Chang  – Óleo Essencial

original_natural-and-lemony-may-chang-soap

Nome latino: Litsea citrata

Família: Lauraceae

Guia de compra:

  • Cor: amarelo-claro e amarelo
  • Viscosidade: úmido
  • Aroma: doce, fumarento, lembrando limão.

Países de origem: China e Java.

Descrição: Árvore tipo arbusto que cresce até 9 m, pertencente à família do loureiro. As flores verde-vivas em forma de lança têm galhos finos com flores brancas peluginosoas e frutinhos verdes e redondos mais ou menos do tamanho de uma pimenta em grão.

Partes usadas: fruto maduro.

Método de extração: destilação à vapor.

Rendimento:  2%

Usos mais importantes:  Nervoso, tônico geral, relaxante,tratamento da pele, acne, indigestão, depressão, ansiedade, estresse, inapetência, anorexia, limpeza, tonificação dos tecidos, celulite.

Propriedades terapêuticas: calmante, anti-infeccioso, antibiótico, estimulante, vulnerário, anti-séptico, estomacal, anti-depressivo.

Principais componentes químicos: citral, neral, geranial, linalul

Mistura-se bem com: Manjericão, louro, benjoim, pimenta-do-reino, cardomomo, cedro, camomila romana, esclareia, coentro, cipreste, Eucalyptus citriodora, Eucalyptus radiata,  olíbano, gerânio, grapefruit, zimbro, majerona, laranja, patchouli, palmarosa, petitgrain, alecrim, sândalo, tea tree, tomilho-lanoso, vetiver, ilangue-ilangue.

Fatos interessantes: Deu-se a essa planta o nome de “cubeba” porque os frutinhos redondos parecem os da trepadeira Piper cubeba, uma planta nativa de Java. A druta de árvore também dá um condimento forte para carnes conhecido como sambal, e as flores dão sabor ao chá. O óleo é amplamente usado em perfumes do tipo cítrico.

Contra indicação: Não se tem notícia de nenhuma

 

Retirado do livro: A – Z Aromaterapia – Susan Worwood

 

 

 

 

 

Limão – Óleo Essencial

lemon-EO

Nome latino: Citrus limonum

Família: Rutaceae

Guia de compra:

  • Cor: amarelo-claro com matiz esverdeado
  • Viscosidade: úmido
  • Aroma: leve, limpo, fresco, cítrico. Pode ser armazenado apenas de 8 a 10 meses.

Países de origem: Brasil, Estados Unidos, Argentina, Itália e Israel.

Descrição: Árvore que cresce até quase 5 m, com folhas verde-escuras e galhos com pequenos espinhos (com os quais se faz um óleo essencial de limão-petitgrain). As flores brancas, altamente perfumadas, são perenes. Frutos amarelos.

Partes usadas: Casca fresca do fruto.

Método de extração: Espremido à frio.

Rendimento:  0.6 a 0.8%

Usos mais importantes:  Tônico geral, infecções, desinxtoxicação, cansaço geral, obesidade, acne, cansaço físico, digestão, depressão, reumatismo, resfriado e gripe, tratamento da pele.

Propriedades terapêuticas:Antibiótico, sedativo, carminativo, diurético, hemostático, adstringente, digestivo, imuno-estimulante, antidepressivo, estimulante, anti-séptico, antitérmico, calmante, antiespasmódico, antiesclerótico, depurativo, vermífugo, cicatrizante.

Principais componentes químicos: D limoneno, citral, gama terpineno, felandreno, citronelal, citropteno.

Mistura-se bem com: Todos os óleos essenciais.

Fatos interessantes: O nome vem do persa ou árabe “limun”, que por sua vez pode derivar do sânscrito – acredita-se que o limoeiro tinha originalmente vindo do nordeste da Índia. Supõe-se que ele tenha sido levado da Arábia para a Europa. A árvore foi introduzida na Califórnia em 1887. O óleo é bom para remover manchas de tinta e polir metais, além de ser solvente para computadores. O suco é fonte de ácido cítrico. Durante muitos anos a marinha inglesa fornecia diarimente aos marinheiros 25 gramas de suco,para evitar o escorbuto e outros problemas decorrentes de deficiência vitamínica. O óleo essencial contém uma grande quantidade de vitaminas e minerais. É usado difundido no ar em bancos e outros edificios comercais japoneses para reduzir o índice de erro dos funcionários.

Contra indicação: Não aplique puro na pele. Não aplique na pele antes de exposição ao sol.

 

Retirado do livro: A – Z Aromaterapia – Susan Worwood

 

 

Patchouli – Óleo Essencial

PatchouliEO5ml

Nome latino: Pogostem cablin

Família: Labiacae (Labiata)

Guia de compra:

  • Cor: Castanho-avermelhado
  • Viscosidade: viscoso
  • Aroma: de terra, doce, ervoso, fumarento. Às vezes é adulterado com óleo de cubeba ou de cedro.

Países de origem: Idonésia, Malásia, Filipinas, Madagascar.

Descrição: Grande arbusto perene, ervoso e peludo que cresce até 9 m de altura, com flores brancas com um matiz púrpura.

Partes usadas: Folhas sem flores.

Método de extração: Destilação com vapor, feita nas folhas secadas ao sol, ligeiramente fermentadas.

Rendimento:  2% a 3%.

Usos mais importantes:  Infecções por fungos, infecções por bactérias, prisão de ventre, tônico uterino, caspa, repelente de insetos, picadas de insetos, problemas emocionais devidos a estresse, dependência de drogas, dermatite, pé-de-atleta, tinha, parasitas, ajuda a eliminar as toxinas.

Propriedades terapêuticas:Tônico, citofilático, antiinfeccioso, anti-séptico, descongestionante, antibiótico, antifungo, antidepressivo, antitóxico, afrodisíaco, adstringente, calmante, nervino.

Principais componentes químicos: Patchouli álcool, pogostol, patchuleno, patchulenol, sesquiterpeno.

Mistura-se bem com: bergamota, pimenta-do-reino, camomila-dos-alemães, cedro, esclareia, olíbano, cravo-da-india, gerânio, grapefruit, jasmin, mirra, rosa-marroquina, tangerina, nerole, laranja, sândalo, vetiver, ilangue-ilangue, coentro, gengibre, capim-cidreira, canela, Litsea cubeba, yuzu.

Fatos interessantes: Originado possivelmente na Malásia, embora seja provável que a palavra venha da língua tamil, do sul da Índia, na qual “patchi” significa “verde” e ïlai” significa “folha”. Tanto pelo perfume quanto por suas propriedades medicianis, o patchouli é usado para perfumar tapetes, chales e materiais teciados, e para aromatizar a tinta.

Contra indicação: Não se tem notícia de nenhuma.

 

Retirado do livro: A – Z Aromaterapia – Susan Worwood