Sempre viva, o óleo da flor ‘‘Imortal’’

 

Compartilhando esse maravilhoso post sobre a Sempre viva de Fábian Laszlo

As flores são benções presentes em nosso dia, não consigo mais viver sem elas. Amo elas de todo o meu coração!!

sementes-de-sempre-viva-helichrysum-bracteatum-contem-04g-852201-MLB20287960052_042015-F.jpg

Helichrysum sp.

Os Helichrysuns são plantas arbustivas perenes da família Asteraceae conhecidas pelos nomes de sempre-viva (Everlasting Flower) e flor imortal (Immortelle). O nome botânico destas plantas deriva das palavras gregas Helios que significa sol e Chrysos que significa ouro.

A colheita das sempre-vivas é feita durante a fase de floração, nas primeiras horas da manhã, quando a concentração de óleos essenciais nas flores é mais elevada. As flores escolhidas são então destiladas usando vapor ao longo de um período de 24 horas.

Existem diferentes tipos de sempre-vivas disseminadas em inúmeros países do mundo. Muitas delas são aromáticas e possuem óleo essencial totalmente distinto umas das outras, não podendo, portanto, ter usos similares.

Em geral, o teor de óleo essencial da flor das sempre vivas é muito baixo. Por exemplo, a variedade H. italicum tem menos de 0,05% , indicativo de que a produção de um quilo deste óleo essencial exige que mais de uma tonelada de flores sejam colhidas.

A variedade mais famosa de sempre-viva, denominada popularmente de‘‘Immortelle’’ provém da espécie Helichrysum italicum. Esta espécie possui, em seu óleo essencial e absoluto, italidionas, que são di-cetonas exclusivas dessa variedade e não encontradas em nenhuma outra espécie de erva conhecida.

Fenomenais propriedades terapêuticas são atribuídas a este óleo essencial. Suas italidionas são potentes estimulantes da regeneração da matriz extracelular, pois aumentam drasticamente a produção de colágeno na pele, reduzindo rugas e cicatrizes, tratando queimaduras e auxiliando no fechamento de escaras e feridas. Em cosméticos, é um importante elemento que traz beleza e jovialidade à pele, pois as italidionas também agem reduzindo visivelmente a intensidade da cor de manchas escuras na pele, clareando inclusive olheiras, além de ser muito útil em hematomas.

A sempre-viva ‘‘Immortelle’’ contém altos níveis de acetato de nerila, outro composto responsável pelo suporte inigualável deste OE na reconstrução de tecidos. Esse componente também possui efeitos relaxantes que reduzem a tensão nos tecidos contribuindo para redução da formação de rugas. Também age na esfera emocional trabalhando a ansiedade e depressão.

Os curcumenos são moléculas encontradas nos óleos de gengibre e turmérico e também estão presentes na ‘‘Immortelle’’. Possuem poderosa ação anti-inflamatória e analgésica que permite a este OE ter qualidades interessantes no tratamento de reumatismo, artrite, dores, dermatites e psoríase.

Segundo Battaglia, em seu livro The Complete Guide to Aromatherapy, este óleo seria um dos mais poderosos agentes quelantes para remoção de metais pesados e toxinas do corpo. E Kurt Schnaubelt em seu livro Advanced Aromatherapy, cita: ‘‘O efeito analgésico de redução de dores e efeitos regenerativos da sempre-viva ‘‘Immortelle’’ é único. Se aplicado em tempo, este óleo previne hemorragias. É muito eficiente nas dores articulares’’.

O óleo de sempre-viva‘‘Immortelle’’ pode ser empregado puro na pele (2 a 3 gotas) em queimaduras para o alívio imediato da dor, em queloides e cicatrizes. E para um uso prolongado, é diluído em creme ou gel na proporção de 0,1 a 2%.

Enquanto a sempre-viva ‘‘Immortelle’’ vem da Europa (Córsega, Balkans, Croácia e França), existem outras espécies que vêm de países quentes, principalmente Madagascar. e permitem usos totalmente diferentes da ‘‘Immortelle’’. Deste país temos:

Sempre-viva fêmea (Helichrysum gymnocephalum)

A sempre-viva fêmea surpreende por sua ação de melhora da respiração. Este óleo essencial, rico em 1,8-cineol (70-75%) limpa os seios nasais, dilui o muco e penetra nos brônquios sem qualquer agressividade reconectando-nos a nosso aparelho respiratório de forma gentil e harmônica. Este caráter particular é diferenciado de propriedades expectorantes e mucolíticas simples no tratamento de bronquites, sinusites e alergias respiratórias.

Sempre-viva macho (Helichrysum bracteiferum)

A sempre-viva macho atua eficazmente no sistema respiratório como expectorante e anti-inflamatória. Calmante e relaxante, é particularmente adequado para a massagem no peito para indivíduos com inflamação e irritação das vias respiratórias. As propriedades anti-inflamatórias da sempre-viva macho também são aproveitadas para a massagem dos músculos e articulações, bem como para gengivas inflamadas. Este óleo se destaca pela união de 29% de cineol (expectorante) com 9% de alfa-humuleno, o componente ativo anti-inflamatório da erva-baleeira, que neste óleo essencial é 3 vezes mais alto. O alfa-humuleno tem ação anti-asmática, reduz cólicas, dores e é um poderoso anti-inflamatório sistêmico. É um dos componentes ativos também do óleo de sucupira.

Sempre-viva faradifani (Helichrysum faradifani)

Suas ações são precisamente orientadas sobre o sistema urinário e genital. Possui potencial de uso contra infecções do trato urinário, como cistites, agindo rapidamente em homens e em mulheres. É indicado quando se deseja estimular e reequilibrar o funcionamento dos rins. Duas a três gotas podem ser aplicadas à parte inferior das costas todos os dias. Este óleo se destaca pela combinação única das moléculas a-fencheno, g-curcumeno e b-cariofileno que juntas dão qualidades anti-inflamatórias potentes a este óleo essencial, torando-o útil a problemas articulares como artrite e reumatismo.

Fábián László

Cientista Aromatólogo

Bibliografia: Simon Lemesle. Huiles essentielle et eaux florales de Madagascar, guide pratique d’une aromathérapie innovante / Franchomme, P e Penoel, D. L’aromathérapie exactement. Roger Jollois / Battaglia. The Complete Guide to Aromatherapy.  Perfect Potion / Kurt Schnaubelt. Advanced Aromatherapy. Healing Arts Press

Este artigo faz parte da 7a edição do Jornal de Aromatologia:
http://laszlo.ind.br/campanhas/JORNAL_LASZLO_7_JANEIRO_2016_web.pdf

ate mais

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s