Cravo-da-Índia

Cravo-da-índia Nome latino: Eugenia caryophyllata

Família: Myrtaceae

Guia de compra:

  • Cor: Amarelo-claro
  • Viscosidade: Médio a úmido
  • Aroma: Intenso, quente, doce, picante. Há um outro óleo, o da folha do cravo, que tem cheiro áspero e é mais escuro ; esse não deve ser usado na aromaterapia.

Países de origem: Indonésia, Madagascar, Sri Lanka, Tanzânia, Antilhas

Descrição: Árvore perene, que cresce entre 12 a 15 m e tem folhas grande, de um verde luminoso. Na extremidade dos ramos, flores de cheiro forte crescem agrupadas. Os botões passam de verde a rosa-pêssego, e quando secam assumem uma tonalidade profunda de marrom-avermelhado.

Partes usadas: Destilam-se dois óleos essenciais, um das folhas, que não é usado em aromaterapia, e um dos botões desidratados ao sol.

Método de extração: Destilação à vapor.

Rendimento: 10 a 15%

Usos mais importantes: Verrugas, dor de dente, dores musculares, pernas cansadas, reumatismo, resfriado, gripe, estresse, franqueza mental, diarreia, infecções do peito, bronquite, náusea, sarna, tinha, cansaço geral, recuperação de infecções.

Propriedades terapêuticas: Anti-séptico, antibiótico, antivírus, antifungo, estimulante, analgésico, antinevrálgico, antiespasmódico, carminativo, afrodisíaco, anti-infeccioso, estomacal, tônico, antiparasítico.

Principais componentes químicos: Eugenol, aceto eugenol, cariofileno, acetato de eugenil, d-cadineno.

Mistura-se bem com: Limão, gerânio, lavanda, grapefruit, camomila-romana, gengibre, palmarosa, ilangue-ilangue, sândalo, tangerina, jasmim, esclareia, manjericão, benjoim.

Fatos interessantes: O cravo-da-índia era usado como remédio na China antiga. Para perfumar o hálito, quando falavam com o imperador os cortesões tinham sempre um cravo-da-índia na boca. Os romanos o apreciavam como condimento e como remédio, reconhecendo-o como um aspecto importante do comércio de especiarias. Ele ainda é usado em fórmulas para uso nos dentes, pois tem um leve efeito analgésico. Empregado amplamente na cozinha, em sabonetes e em perfumaria; usado em vinhos e licores.

Contra indicação: Pode provocar irritações nas peles sensíveis. Evite usá-lo durante a gravidez e em crianças de menos de 12 anos. Não o use em banhos.

 A – Z Aromaterapia – Susan Worwood

2 comentários sobre “Cravo-da-Índia

  1. lea disse:

    Taí uma das minhas curiosidades: ver uma árvore de cravos!
    Adoro cravos, tanto como tempero em doces como em óleo, sabonete e incensos…
    E combinado com a canela…delícia!!!!
    Às vezes, compro bastante cravo, coloco-os numa vasilha , quando vou viajar. A casa fica bem fechadinha e quando chego….que delícia de aroma!

    • Terra dos Aromas disse:

      Sim, também usava muito para afastar as formigas dos armários, elas não gostam do cheiro do cravo. E como vc disse, deixa um aroma muito delicioso e quente.!! Bem legal esse uso, vou compartilhar. bjus

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s