Tudo sobre o Limão!

Tudo sobre o limão!

O limão é um presente da natureza. Possui vários benefícios à saúde. Possui propriedades curativas, poder adstringente, bactericida, fungicida, antibiótico e clareador. Confira todos os benefícios, assim como receitas para usar o limão para sua beleza e saúde!

Composição e Benefícios do Limão

  • Contém vitamina B1, B2 e B3, provitamina A (principalmente na casca) e vitamina A (na polpa fresca e sumo).
  • É riquíssimo em vitamina C (40 a 50mg para cada 100g do fruto), que têm um papel inestimável nos fenômenos óxido-redutores, melhorando o desempenho das glândulas endócrinas. Por essa razão, é indispensável a sua ingestão diária.
  • Possui vitamina PP, que age protegendo e tonificando o sistema vascular, e vitamina I que é um preventivo das pneumonias.
  • Contém grandes quantidades de sais minerais e oligoelementos como o cálcio, ferro, silício, fósforo, cobre, magnésio e iodo.
  • Possui uma grande concentração de ácidos cítrico e málico, além de pequenas quantidades de ácido acético, fórmico e de citratos de potássio e de sódio.
  • É portador de glucose e frutose diretamente assimiláveis, bem como de sacarose.
  • Contém gomas, mucilagem e algumas albuminas.

Na composição do limão existe o d-limoneno, que tem propriedades anticancerígenas e é solvente de cálculos e entupimentos nas artérias. Outra grande vantagem é a função de “descongestionar” o fígado após a ingestão de álcool ou de alimentos muito gordurosos.

Pesquisas japonesas comprovaram que o terpineno, por sua vez, é capaz de inibir a oxidação do mau colesterol (LDL) e, assim, evitar arteriosclerose ou infarto. Já o geraniol se mostrou eficaz para inibir a reprodução de células cancerosas.

O limão também é rico em vitamina P, que potencializa a eficácia da vitamina C e atua no fortalecimento dos tecidos capilares e conjuntivos, evitando sangramentos, como os de gengiva; auxilia ainda no processo de cicatrização e no tratamento de edemas; ativa a circulação e equilibra as taxas de colesterol, além de aumentar a resistência contra infecções e viroses e contribuir para o alívio de gripe e resfriado.

A vitamina P não é produzida pelo corpo, por isso precisa ser obtida na alimentação. No limão, ela é encontrada na pele branca (entrecasca) e na película que envolve os gomos da fruta.

A entrecasca e polpa do limão, assim como das frutas cítricas, são ricas em pectina, uma fibra solúvel que, além de facilitar a digestão, regula a absorção dos açúcares, diminuindo a sensação de fome e o armazenamento de gorduras. Assim, ao preparar sucos de limão e de outras frutas cítricas, recomenda-se não dispensar a entrecasca e a polpa. Quanto mais turva for a bebida, mais pectina ela conterá.

Tudo sobre o limão!

A Melhor Forma de Ingerir: Água com Limão

O simples ato de beber um copo de água morna com limão auxilia muito na limpeza do organismo. Quando isso é feito em jejum, o efeito é maximizado. O limão melhora a produção de enzimas do fígado e facilita o funcionamento do intestino, além de ter efeito diurético. Tudo isso favorece a expulsão de toxinas do corpo.

Benefícios da Água Com Limão

  • Os limões e limas são ricos em potássio. O potássio é um mineral importante que trabalha com o sódio para transmissão de energia elétrica ao cérebro e sistema nervoso. Depressão, ansiedade e esquecimento, podem ser atribuídos ao baixo nível de potássio no sangue. Esse mesmo sistema nervoso precisa de potássio para assegurar sinais constantes para o coração. Assim, nossa saúde cardíaca também é beneficiada.
  • O fígado produz mais enzimas a partir da água com limão que qualquer outro alimento.
  • A composição atômica da água com limão é semelhante à saliva e ao ácido clorídrico dos sucos digestivos.
  • Ajuda a purificar e estimular o fígado.
  • O cálcio e o magnésio são abundantes na água com limão. O magnésio é importante para a saúde do coração e o cálcio previne o raquitismo.
  • Reduz a pressão arterial.
  • Tem um efeito alcalinizante no corpo. Algumas pessoas podem achar que, devido ao sabor ácido do limão, este alimento pode acidificar o organismo; mas não se engane, o limão mal alcança o estômago e já combina-se com os minerais alcalinizantes, nos ajudando a manter o pH do corpo em equilíbrio.
  • Ajuda a diluir o ácido úrico, que se acumula no organismo.
  • Reduz o catarro no corpo.
Tudo sobre o limão!

Dúvida Comum: Limão faz mal para o estômago?

Por conta de seu forte sabor ácido, o limão sempre foi encarado como um grande vilão para o estômago. Mas isso não é verdade. O limão tanto não é nocivo para o nosso tubo digestivo, como suas propriedades terapêuticas contribuem muito para a boa digestão.

Após ser ingerido, o limão deixa de apresentar sua propriedade ácida, pois o ácido cítrico, ao entrar em contato com as células no interior do nosso corpo, é oxidado, atuando como base. Somado a isso, ao ser metabolizado, ele estimula a produção de substâncias alcalinas no nosso organismo e contribui até para neutralizar nossa acidez interna.

As propriedades alcalinas do limão dentro do nosso corpo auxiliam na regeneração das mucosas dos órgãos do aparelho digestivo, garantindo seu bom funcionamento. Além disso, a ingestão de limão pode ajudar na cicatrização de úlceras do estômago e até mesmo prevenir sua formação. O limão também combate as fermentações no intestino e a formação de gases; ele é útil para amenizar dores de estômago e contribui para o aumento da produção de sucos pelas glândulas da boca e do estômago e controla o excesso de bile – beneficiando o fígado.

Então, contrariando a lógica da sabedoria popular, o limão é, sim, um santo remédio para má digestão, náusea, azia, dor de estômago e outros distúrbios gástricos.

Limão e a Beleza

Tudo sobre o limão!

Além de trazer muitos benefícios para saúde, o limão também contribui para nossa beleza.

Porém, antes de qualquer coisa, lembre-se de algo muito importante: o limão pode manchar a pele ao entrar em contato com sol. Por isso, sempre enxágue bem qualquer respingo e, se possível, utilize as dicas de beleza com limão somente à noite.

Tonifica a pele: O pH ácido do limão é um bom ingrediente para tonificar e suavizar a pele. Misture duas colheres de suco de limão com uma colher de sopa de água filtrada e mais um pedaço de algodão. Aplique sobre o rosto e enxágue com água fria. Mantenha a mistura na geladeira para poder usá-la novamente.

Proporciona brilho aos cabelos: O limão é um dos melhores truques para obter um cabelo com brilho. Esprema um limão em um copo e adicione ½ xícara de mel e azeite. Misture-as para formar uma mistura suave. Cubra com um plástico e leve a geladeira por 30 minutos. Aplique nos cabelos recém-lavados. Em seguida lave com shampoo e enxágue bastante.

Ajuda a clarear os cotovelos: Os cotovelos muitas vezes ficam com uma aparência escura, como se eles estivessem sujos, mesmo depois do banho. O limão é um truque que vai servir para clarear a pele do cotovelo. Corte um limão ao meio e coloque no cotovelo por 10 minutos, em seguida lave bem o braço. Repita todos os dias até você perceber que a pele esteja mais clara.

Melhora o hálito: Quer ter um hálito refrescante e sem recorrer sempre à hortelã? Esprema algumas gotas de suco de limão sobre a língua e bocheche bem. Limão diminui o nível de pH na boca e mata as bactérias que causam o mau hálito.

Suaviza os pés:  Encha uma tigela com água morna e acrescente uma xícara de suco de limão, ¼ de xícara de leite e algumas colheradas de azeite de oliva. Mexa bem para misturar os ingredientes e mergulhe os pés no recipiente por 15 minutos. Quando terminar, lave com água morna. Repita este procedimento uma vez por semana.

Ótimo post do Blog Beleza e Saúde

Flor das Almas e Cera de Abelha ABS

FLOR DAS ALMAS

flor das almas

O óleo de flor-das-almas, ou maria-mole é obtido de uma planta brasileira que apresenta alcalóides altamente tóxicos, contudo estes alcalóides não evaporam e não estão presentes em seu óleo essencial.

Esta planta possui um óleo com constituição altamente complexa (clique e veja aqui) que mostra uma capacidade genética avançada para usar rotas químicas tão distintas para a síntese de variados componentes.

Há compostos sedativos, antibióticos, analgésicos, antiinflamatórios e imunoestimulantes unidos com o objetivo de proteção e regeneração tecidual neste vegetal. Óleo é sazonal e especial para colecionadores. Possui fragrância exótica, interessante para notas “secretas” e “ocultas” em perfumes. Apesar de não ter os alcalóides da planta, é recomendado somente seu uso externo.

 


CERA DE ABELHA ABS

cera de abelha

O aroma de mel e própolis presente no favo é extraído e concentrado neste produto raro e único. Possui ação antiséptica e cicatrizante para a pele machucada.Tem uma poderosa capacidade de fixação de aromas sobre a pele, que os permite extender o cheiro por horas, por isso é procurado por perfumistas de todo o mundo como uma opção natural para perfumes.
O absoluto da cera carrega toda a força vital das abelhas, sendo utilizado muito em aplicações similares ao medicamento homeopático Apis mellifera, equilibrando todos os aspectos negativos deste padrão de personalidade: “O paciente Apis é uma pessoa triste, melancólica, chorosa. Choraminga sem saber porquê, sem qualquer causa aparente, apresenta-se abatido, desencorajado. É desconfiado e ciumento. Possui dificuldade em pensar com clareza. Podem coexistir em Apis duas fases: uma de irritabilidade e excitação e outra de depressão, apatia e indiferença. Tem a sensação de que vai morrer. Desespero sem razão plausível.”

Para tratar este padrão utilize o absoluto de cera de abelha no chakra cardíaco, testa ou na forma diluída de oligoaromaterapia.

 Newsletter Laszlo

MUSGO DE CARVALHO ABS

Boreal Oakmoss3Este absoluto é extraído de musgos que crescem no tronco de velhos carvalhos e coníferas, Ele possui uma nota de fixação poderosa para perfumes. Seu aroma quente e seco traz nuances maravilhosas em perfumes, principalmente quando combinados com óleos ricos em linalol como o Pau Rosa, Rosewood e a Lavanda.

Ao crescer nos troncos, o musgo passa a ter um abrigo onde tira toda a umidade que precisa e todos os nutrientes da superfície da casca morta. Em troca, ele protege a madeira interna, repelindo com seu aroma microorganismos que podem ocasionar a podridão, além de brocas. 

No campo sutil, este é o mais poderoso óleo capaz de fechar o campo áurico e proteger o corpo das perdas energéticas. É um poderoso elemento anti-vampiresco, que ajuda a fechar a aura daqueles que facilmente são drenados de suas energias e forças por pessoas negativamente pesadas. Se adiciona em álcool em proporção de 20-40 gotas para cada 100ml e borrifa-se sobre todo o corpo e/ou ambiente.

Também é um poderoso cicatrizante e agente antioxidante quando empregado topicamente, muito empregado em cosméticos com finalidade anti-idade e rejuvenescimento facial.

Texto recebido através da newsletter da Laszlo

Grapefruit

Grapefruit

 

Nome latino: Citrus paradasi

Família: Rutaceae

Guia de compra:

  • Cor: Amarelo a verde-claro
  • Viscosidade: Úmido
  • Aroma: Doce, quente, cítrico fresco. Os óleos círicos devem ser usados até no máximo seis meses depois da compra

Países de origem: Estados Unidos, África do Sul, Israel, Brasil

Descrição: Árvore pequena com folhas perenes, escuras e grandes, flores grandes branco-cremosas, frutos amarelos.

Partes usadas: Casca fresca

Método de extração: Compressão a frio.

Rendimento:  0,5 a 1%

Usos mais importantes: Cansaço muscular, rigidez, celulite, dor de cabeça, acne, cansaço mental, ressaca, retenção de líquido, anti-séptico, desinfetante, desintoxicação.

Propriedades terapêuticas: Tônico, digestivo, depurativo, anti-séptico, anti-infeccioso, restaurador.

Principais componentes químicos: D limoneno, gama terpineno, nutquetono, cadineno, neral, citronelal

Mistura-se bem com: gengibre, zimbro, cipreste, esclareia, cravo-da-índia, palmarosa, ilangue-ilangue, tangerina, Lavanda, gerânio, alecrim, tomilho-lanoso, hortelã pimenta,  eucalipto (todos), , pimenta-do-reino, olíbano, patchuli.

Fatos interessantes: A planta foi introduzida nas Antilhas, procedente da China, por um capitão chamado Shaddock, e o fruto ficou conhecido a partir de então como “fruto de Shaddock”. Em 1809 as sementes viajaram com os colonizadores espanhóis para os Estados Unidos, onde entretanto o grapefruit não foi cultivado para comercialização antes de 1880. Em muitas partes do mundo os produtos deteriorados dessa e de outras frutas cítricas são triturados e usados como forragem para animais.

 

Contra indicação: Não se tem notícia de nenhuma.

 

Retirado do livro: A – Z Aromaterapia – Susan Worwood

Gerânio

P1040357

Nome latino: Pelargonium graveolens, P roseum, P asperum

Família: Geranieacecae

Guia de compra:

  • Cor: Incolor a verde-claro
  • Viscosidade: Úmido
  • Aroma: Doce, suave, fresco, lembrando o da rosa

Países de origem: Ilha Reunião (para o gerânio tipo burbom), Madagascar, Egito, Argélia, Marrocos, Rússia, China, França, Estados Unidos

Descrição: Pode crescer até 1 m de altura; pequenas folhas bem esparsas e florzinhas branco-rosadas.

Partes usadas: Folhas e hastes

Método de extração: Destilação com vapor.

Rendimento:  0,1 a 0,2%

Usos mais importantes: Problemas de reprodução femininos, fertilidade, distúrbios circulatórios, antidepressivo, menopausa, machucados, feridas, hemorroidas, bactericida, anti-infeccioso, cansaço, nervoso, equilíbrio emocional.

Propriedades terapêuticas: Adstringente, hemostático, diurético, anti-séptico, antidepressivo, regenerador, tônico, antibiótico, antiespasmódico, anti-infeccioso.

Principais componentes químicos: Citronelol, geraniol, citronelil fromato, linalol, terpineol, iso mentono

Mistura-se bem com: limão, grapefruit, Lavanda, alecrim, camomila-romana, hortelã pimenta, cravo-da-índia, esclareia, gengibre, palmarosa, tangerina, ilangue-ilangue, sândalo, pimenta-do-reino, erva doce, zimbro, cipreste, rosa-damascena, rosa-marroquina, jasmim, olíbano, laranja.

Fatos interessantes: Introduzido na Europa, vindo da África no século 17. Há aproximadamente setecentas variedades de gerânio, mas apenas dez são usadas na feitura do óleo essencial. O tipo ornamental de gerânio, conhecido dos jardineiros, normalmente não se presta ao óleo essecila. O aroma exclusivo, que lembra o da rosa, é capturado colhendo-se as flores assim que as folhas ficam amarelas, antes disso o aroma lembra mais o do limão.

Contra indicação: Não se tem notícia de nenhuma.

 

Retirado do livro: A – Z Aromaterapia – Susan Worwood

 

 

 

 

 

Massoia

Achei muito interessante esse Óleo e a maneira do distribuidor descrever o mesmo. Fica a dica!

 

Massoia (Cryptocarya massoia)vidurasena-shaving-the-outer-layer-of-cinnamon-bark[1].jpg

O raro óleo da madeira que cheira a coco!

          O gênero Cryptocarya da família lauraceae é composto por mais de 350 espécies distribuídas através dos trópicos, subtrópicos e em regiões temperadas do mundo. Muitas espécies deste gênero tem sido utilizadas extensivamente como medicamento em um grande número de práticas etnobotânicas.             
          A árvore da massoia, é endêmica da ilha da Nova Guiné, tendo porte médio com ótimo desenvolvimento em florestas tropicais entre 400m e 1.000m de altitude.            
          Sua madeira aromática, se assemelha em aparência à da canela e é artigo de comércio a séculos. É utilizada pelas mulheres Javanesas e balinenses para preparar uma pomada aquecedora chamada “bobori”, que possui um agradável cheiro. Diz-se que as mulheres de pele branca adquirem um tom rosado suave com este produto. Tal efeito se deve ao efeito irritante na pele exercido pelo óleo essencial, principalmente se utilizado puro.               
          O óleo de massoia possui um aroma doce, extremamente similar ao cheiro de coco, sendo produzido da madeira que é obtida cortando a árvore na base, fazendo incisões circulares com intervalos de um metro, deixando depois a madeira para secar. Cada árvore rende em torno de 65kg de madeira seca, sendo que a maior parte do suprimento mundial é originário da Indonésia, principlamente de Irian Java que é a metade oeste da Nova Guiné.               
          O óleo de madeira de massoia é empregado pela indústria de alimentos como um aditivo aromatizante de margarinas, sorvetes, doces e leite. Poucas gotas dão um sabor delicioso de coco. Os componentes do óleo essencial são muito raros e somente encontrados em poucas plantas, como o macassá.             
          A massoia lactona presente no óleo, possui ação anticonvulsivante, analgésica, antiinflamatória e sedativa [1,2,3] potentes. Também apresentou potencial anticancerígeno [3].            
          No campo psicológico o óleo desperta o ânimo, traz alegria, entusiasmo, trabalhando a rigidez, depressão e melancolia. É considerado afrodisíaco, tanto em massagens, quanto inalação. Ao mesmo tempo, é um sedativo útil na insônia e ansiedade.     
          Na perfumaria, a massoia combina super bem com pau rosa, hortelã limão, sândalo, cedro do atlas, ambreto, benjoim, cacau e baunilha, jasmim e outros óleos essenciais na confecção de perfumes diferentes e arrojados. Contudo deve ser usada com cautela pois pode ocasionar irritação nas axilas, motivo que levou a IFRA a não indicar mais o seu uso em perfumes comerciais. Em aromatizadores de ambiente contudo não apresenta problemas.            

Resumo de indicações:isolated-cinnamon-stick[1].jpg


Ansiedade +++
Insônia ++
Depressão +
Anticonvulsivo (epilepsia) ++
Antiinflamatório +++
Analgésico +
Relaxante +
Estimulante da circulação local ++
Tonificante facial – dá viço e cor à pele pálida (<1%) +++
Anticatarral e mucolítico
Antiinfeccioso
Afrodisíaco +
Estimulante sexual (em cremes de 0,5-1%) ++

Cromatografia Laszlo: GC Massoia link

Concentração de uso:

Em óleo carreador em diluições de 1-2%. Inalação (6-15 gotas em difusor ambiental). Cremes e cosméticos 0,3-0,5%. Alimentos (geralmente de 4-6 gotas por KG)

Toxidade:

O produto pode ser irritante de peles sensíveis. Utilizar com cautela e sempre diluído para evitar problemas. Seu grau de irritação pode ser comparado ao do capim limão rico no aldeído citral.

Referências (textos Fabian Laszlo): 

1. Elisabetsky E, G.P. Coelho de Souza; Anticonvulsant properties of linalool and g-decanolactone in mice; ISHS Acta Horticulturae 1999 (501).
2. Costa-Lotufo LV, de Lucena DF, Andrade-Neto M, Bezerra JN, Leal LK, de Sousa FC, Viana GS. Analgesic, antiinflammatory and central depressor effects of the hydroalcoholic extract and fractions from Aeolanthus suaveolens.Biol Pharm Bull. 2004 Jun;27(6):821-4.
3. Barros ME, et al. Synthesis and evaluation of (-)-Massoialactone and analogues as potential anticancer and anti-inflammatory agents. Eur J Med Chem. 2014 Apr 9;76:291-300. 

Recebi via email

Eucalyptus Globulus

Imagem

 Nome latino: Eucalyptus globulus

Família: Myrtacecae

 Guia de compra:

  • Cor: Amarelo-claro
  • Viscosidade: Úmido
  • Aroma: Forte, lenhoso, canforoso. A cor amarela surge com a idade

 Países de origem: Austrália, China, Espanha, Portugal

Descrição: Árvore alta de casca lisa e branca, que pode crescer até mais de 30 m, com grandes folhas verdes rajadas, em forma de foice, que frequentemente chegam a mais de 20 cm de comprimento. Tem grandes flores brancas penugentes que se desenvolvem a partir do fruto, e um cálice lenhoso em forma de taça fechada que contém uma grande quantidades de sementes.

Partes usadas: Folhas e talos.

Método de extração: Destilação com vapor.

Rendimento:  1,8 a 2%

Usos mais importantes: Catarro, bronquite, resfriado, gripe, febre, sinusite, dores musculares, dor de cabeça, indolência, cansaço mental, reumatismo, asma, picada de insetos, erupção, feridas na pele, frieira, dor de garganta.

 Propriedades terapêuticas: Anti-séptico, anti-inflamatório,expectorante, antifungo, antitérmico, anti-infeccioso, antiparasítico, antinevrálgico,m anti-putrescente, peitoral. As propriedades anti-sépticas desse óleo aumentam com a idade.

 Principais componentes químicos: 1,8-cineol, para cimene, eucaliptol, fenqueno, globulol, canfeno.

 Mistura-se bem com: Lavanda, alecrim, camomila-romana, camomila-dos-alemães,  hortelã-pimenta, tomilho-lanoso, tomilho-dourado,  limão,grapefruit, gerânio, gengibre, zimbro, cipreste, pinho.

 Fatos interessantes: O óleo essencial foi destilado pela primeira vez na Austrália em 1788, pelo cirurgião-geral da colônia, doutor John White. A árvore é em geral conhecida como “gomífera azul da Tasmânia”. O interesse internacional pela árvore surgiu em virtude de seu rápido crescimento e por ela usar uma grande quantidade de água, sendo assim capaz de converter pântano em terra arável. Provavelmente por ter esse processo destruído o campo fértil para o mosquito da malária, no século 19 a árvore ganhou a reputação de ser capaz de eliminar um local de “miasma” ou “febre”, quando a fonte da malária ainda não era conhecida. Daí o nome “árvore da febre”.

Contra indicação: Não deve ser usado em menores de 12 anos.

Retirado do livro: A – Z Aromaterapia – Susan Worwood